quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

O bordar

Quero falar um pouquinho sobre o processo de fazer um bordado. 💗
A ilustração da Juliana Mota que usei como base para esse bordado representa bem o assunto deste post, o primeiro do ano, que já vai começar com textão, haha. Eu quero falar um pouco sobre o ato de bordar. O bordado é uma terapia. E é especialmente por isso que eu bordo. O mundo tá muito caótico. É difícil não se deixar levar pelas ondas do caos. E o bordado ajuda nesse processo de calmaria. Você vai vendo cada ponto se formando, indo e vindo. Às vezes são horas, às vezes dias para terminar uma peça. Mas é maravilhoso o processo. 

Eu comecei a bordar em 2015, em um curso on-line do Clube do Bordado. Apesar do tempo de bordado, eu comecei efetivamente a levá-lo mais a sério em 2021. Percebi que realmente é uma forma de manter uma distração sadia. E digo distração não para diminuir o bordado, mas no sentido de que eu simplesmente desligo do mundo quando estou bordando. Fico distraída. E isso é muito bom. 

E esse texto é só para dizer como as artes manuais são importantes em nossa vida. Elas realmente fazem parte da nossa saúde e todo mundo deveria investir mais nessa área "artística" da vida. Eu sou uma pessoa ansiosa, por isso desde cedo venho me aventurando em várias técnicas de artesanato, porque sei que isso me ajuda. Passei pelas caixinhas de MDF, pelo feltro, pelo tricotin, pela tapeçaria, e pelo bordado. Mas só agora me descobri bordadeira. E é interessante pensar no tempo que levou para essa descoberta. Porque a vida é feita de processos. 

Enfim, espero continuar compartilhando com você minhas aventuras neste mundo do bordado. Até o próximo post! 💖
Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário